A crença acima de tudo: até acima do Brasil e de Deus

Esta é a primeira eleição que estou mais atento, mais engajado. O segundo turno se configura com Bolsonaro presidente do Brasil, e a realidade não mostrará nova situação – a maioria dos brasileiros querem o Jair, logo, melhor “já ir” se acostumando.

Como nas eleições de 2000, quando ainda não existiam ou sequer havia rumores do aparecimento das redes sociais, os candidatos à presidência, inclusive o Lula, tinham atitudes correlatas a estas que Haddad e Bolsonaro possuem: o uso de meias-verdades e mentiras para enfraquecer outros candidatos.

Notório, os eleitores, à época, escolheriam, de uma forma fanática e crente, o messias de 2000, o Luís Inácio, que alteraria os rumos do país – deveriam assim crer que lá habitava, no corpo do homem, no ontem e no agora, um deus.

Tais devotos, os brasileiros se enganaram – Lula se tornou um dos maiores corruptos da história do Brasil, um traidor. Se não bastasse, a história tenta se repetir, ao que parece.

Bolsonaro foi acusado, matéria de capa da Folha de São Paulo, de espalhar FakeNews através de grandes empresários, além de se utilizar do Escola sem Homofobia, conhecido pelos cidadãos por “Kit Gay”, projeto não aprovado pelo Governo e que nunca foi colocado em escolas, para se promover e promover o ódio entre grupos sociais. Ou seja, há meia-verdade, porque o Kit-Gay, assim chamado, acabou por se tornar falácia, barrado pela antagônica Dilma, aliás, do PT. Como podem, depois do TSE extirpar as falsas informações sobre o inexistente Escola sem Homofobia, confiar seus votos ao ex-Deputado Federal, que promete armas de fogo, detesta homossexuais, negros, índios e enaltece personagens ditatoriais?

Porém, os seguidores de Jair não admitem qualquer forma de oposição a ele, mesmo após suas recentes declarações, mesmo seu filho discursar contra as ações do STF. A crença que converge ao fanatismo: todos são humanos e cometem erros, são corruptos, são imperfeitos; Jair é Deus, caracterizado de forma oposta aos atributos da carne e do osso. Assim foi com o Lula, digo eu!

Não importa quem o aponte, o pesselista é unânime, definem os idólatras, é verdadeiro; mentirosos são os outros, falsos são os outros, e ambos os lados, PT e PSL, divulgam boatos, apenas o lado de Bolsonaro, quando criticado, é passível de perdão, taxado de perseguido pelos jornais – a crença dos eleitores Bolsonaristas em um messias de 2018, que está acima de tudo:  até acima de Deus e do Brasil.

Gabriel Fécchio, seu jornalista de sempre!

#Imparciup #StarkAssistencia #4NerdsOficial

Anúncios

Flagrado o Vândalo dos Banheiros Públicos: quando o poder público não resolve e ainda piora

Funcionário da Prefeitura flagra artista, ou melhor, flagra individuo que pichava as paredes do banheiro público da Matriz, nesse sábado, 20..

Segundo a página oficial da prefeitura de São José do Rio pardo, “O rapaz chegou a ser fotografado – vestia uma camiseta com desenhos semelhantes aos da parede do banheiro.”

 
Comentário – Refaço: por que caracterizar o personagem da história mediante a uma imagem e através de uma página pública? É Irrefutável a tese de que o homem da imagem tenha assim cometido um ato impróprio quanto ao patrimônio público, porém não concordo com a postura da página pública, inclusive sendo a página da prefeitura, de tomar esta atitude ao expor e caracterizar o artista, ou vândalo, como quiser.
 
A intenção e as formas de lidar com situações corriqueiras através dos órgãos públicos, uma vez que vivemos em uma sociedade, e me aponte uma sociedade que não haja vandalismo, demonstra o quão preparada ou despreparada é uma administração pública.
 
Como falam alguns rio-pardenses – leitor, perceba que uma simples mensagem de organização e ajuda acaba por oferecer uma solução ao caso – “Bastasse uma conversa ou orientação, com uma lata de tinta, então este homem que vive nas ruas poderia pintar a parede.”, ou não.
 
Apenas, existem modos legítimos de se punir eventuais problemas cotidianos e pessoas que estejam infligindo limites sociais. O discurso por trás da imagem revela uma perspectiva de “Procura-se vivo ou morto”. O que o servidor público que presenciou fez foi: fotografar e publicar. Qual o objetivo: o linchamento de um morador de rua por munícipes revoltados com a depredação do banheiro público? Faça-me o favor, ou os comentários na página são aceitáveis, aquilo que definem como discurso de ódio.
 
Os responsáveis pela manutenção do banheiro público, estes sim, são cabíveis de punição; a prefeitura sabe como trazer uma resolução, aos moradores de rua, aos vândalos e aos rio-pardenses, e não querem. Preferiram a foto, preferiram atribuir a culpa a um único ser de maneira deplorável.
 
Refaço: Por que caracterizar o morador de rua, desenhista, mediante a uma imagem e através de uma página pública? Porque é mais fácil julgar e deixar que julguem, isso para milhares de seguidores da página no Facebook, fomentar a discórdia entre sociedade, ao invés de corrigir muitos impasses com um cajado só – rua, banheiros, moradores etc.

Gabriel Fécchio, seu jornalista de sempre!

#Imparciup #StarkAssistencia #DoutorSmartSJRP #PegaPegaSJRP#4NerdsOficial

 
 

Câmara de Mococa vai investigar contrato e pagamentos realizados à Insaúde

A Câmara de Mococa abriu, na última segunda, uma CEI – Comissão Especial de Inquérito, para investigar possíveis problemas no contrato e no pagamento à empresa Insaúde.
Segundo o site oficial, “Também ficará a cargo da comissão analisar os trabalhos desenvolvidos pelas comissões de monitoramento e avaliação. Os pagamentos efetuados à Organização Social serão alvos da investigação do Poder Legislativo.”
Os parlamentares declaram que se fez necessário a abertura de uma CEI após a Insaúde ter enviado um ofício com a informação da dívida de 5,1 milhões pela prefeitura.
Os trabalhos de averiguação e conclusão da Comissão serão de 60 dias.
Este é seu Jornalista de sempre, Gabriel Fécchio!
Foto: Câmara de Mococa

O Prédio ainda é discussão, com muitos apelidos, mas quem fará funcionar o UPA

A Câmara municipal de São José do Rio Pardo solicita que o Poder Executivo informe sobre a UPA, Unidade de Pronto Atendimento. O famoso UPA 24 horas, embora o rio-pardense não tenha conseguido usar uma.

Em observação, Mococa possui um UPA, com serviços prestados, pelo papo com alguns munícipes da cidade da vaquinha, de qualidade e com poucas falhas. Sim, com poucas, pois sempre há – agradar a todos é difícil!

Não determino que seja bom ou ruim o UPA quando cito os Mocoquenses, aliás, em 2016, estava em andamento a construção do prédio, isto em São José do Rio Pardo, da tal unidade. Talvez, não fosse o desejo de todos os rio-pardenses, mas trouxeram pra cá, muito dinheiro público envolvido, demora na entrega etc. Hoje, só um prédio vazio.

Recentemente, a circulação de notícias com meias-verdades que colocavam em discussão UPA x Pronto Socorro, ou seja, abre-se o UPA, fecha-se o Pronto Socorro. Então, não abriram UPA, não fecharam o Pronto Socorro, elas por elas, e ninguém toma partido sobre o que resolver. Eu, particularmente, prefiro os dois.

Lembrar que a página Orgulho Rio-Pardense, em um de seus textos, atribuía, meses atrás, a Ernani a meta de implantar o UPA antes das eleições de outubro – semana que vem, é o segundo turno e, em menção ao episódio 71 de Pica-Pau – A Vassoura da Bruxa: “E lá vamos nós”; de novo.

A secretaria de Saúde, Márcia Biegas, já descrevia ao Jornal Democrata, em dezembro de 2017, “que o local não poderia se adequar ao serviço, que haveria uma parede de Blindex na sala vermelha que daria para a rua. Na sala amarela e na vermelha, sem saída para oxigênio e ar comprimido”. Mal feito, concluindo as palavras de Márcia! Márcia prossegue pela indicação do espaço a um prédio de especialidades, à época, e que necessitaria de 800 mil reais para pôr em prática o UPA.

Nem isso e nem aquilo, caro leitor, o fato é que, na boca de todos, o prédio situado nas imediações do bairro Santa Teresa foi um monte de coisas, com muitas denominações e apelidos, mas nunca utilizado!

Este é seu Jornalista de sempre, Gabriel Fécchio!

Prefeitura confirma a reabertura do ESF “A unidade atuará em alguns casos, por enquanto”, afirma

A Prefeitura de São José do Rio Pardo anunciou a reabertura do ESF, Estratégia Saúde da Família Buenos Aires, nesta sexta, dia 19.
 
Ontem, a pedido de uma participante da Imparciup – São José do Rio Pardo sobre quais serviços e os locais de atendimento, a página oficial da Prefeitura responde: – “A ESF deve, enquanto não há o credenciamento de Agentes Comunitários, como já dito pela página INFO WEB CASSUCCI, ser como em UBS, a unidade atuará apenas nos casos ambulatoriais (consultas médicas, de enfermagem, medicação, curativos).”
 
Os serviços de saúde no local irão abranger, de segunda a sexta, das 7 às 17, os moradores do Maria Boaro e Buenos Aires, mas nos seguintes perímetros:
Bueno Aires –
 
– Av. Benedito dos Reis Scigliani (nº 1.254 até nº 1.571)
– Av. Luiz Rodrigues Correia; Rua Ademar S. Figueiredo
 
– Alfredo Del Buono, Rua Benedito Maia
– Rua Carlos Alberto Osmak, Rua Dirceu Tardelli
– Rua Domiciano Garcia da Costa
– Rua Domingos Parisi
– Rua Geraldo L. D. Bicalho,
– Rua Guiseppe Antonio de Rosa
– Rua Humberto Breda
– Rua Mário Andreatta
– Rua Olímpia da S. Rocha
– Rua Osório de Oliveira
– Rua Prudente Correa –
– Rua Reynaldo Smarieri
– Rua Ricardo Possebon
– Rua Sebastião da Paiva Machado
– Rua Torindo Perocco
– Rua Waldemar Sperancini.
 
Maria Boaro:
 
– Rua Agenor M. de Oliveira
– Rua André Bilotta
– Rua Ângelo Molfi
– Rua Ângelo Antonio Regini
– Rua Antonio Dias Bicalho
– Rua Benedito Noronha de Andrade
– Rua Benjamin Bilotta
– Rua José Olympio Dias Bicalho
– Rua José Pathes dos Santos
– Rua Justa T. de Martini
– Rua Luís de Martini.
Fotos: Prefeitura

ESF Buenos Aires retorna às atividades, porém como UBS – Unidade Básica de Saúde

A página Info Web Cassuci; segundo ela, o ESF reiniciou as atividades em 17 de outubro, quarta-feira. O fato foi informado pelo médico Carlos Raphael de Moura Oliveira e pela enfermeira Ana Gabriela Carvalho Silva.
 
Conforme a nota apresentada pela Info Web Cassuci, o prédio não funcionará como ESF,  Estratégia Saúde da Família, e sim como UBS, Unidade Básica de Saúde, pois ainda não possui Agentes Comunitários de Saúde em atuação. 
Os serviços de saúde no local serão oferecidos de segunda a sexta, das 7h00 às 17h00.

Vantagens e Desvantagens de Pavimentação de Ruas em São José do Rio Pardo. Tema será debatido na Câmara

A Câmara de São José do Rio Pardo deve realizar audiência pública sobre as vantagens e desvantagens de pavimentação de paralelepípedos, em 30 de Outubro, terça-feira.

As informações são da página oficial da Câmara Municipal. A audiência visa a analisar o projeto de lei nº 51, que revoga a lei municipal nº 4.461.

Os Oradores serão Alfredo Carlos da Costa Figo, Fernando Pinheiro Passos, Marcelo Nogueira Rocha e Rosana Soares Bertocco Parisi.

Como curiosidade, a lei nº 4.461 proíbe o asfaltamento de 32 vias, ruas e avenidas, inclusive a Francisco Glicério e Francisquinho Dias. Em 23 de abril deste ano, a Câmara promoveu uma consulta pública para saber a opinião popular sobre pavimentar ou não estas 32 vias. 46,81% dos participantes da pesquisa foram contra a pretensão de asfaltamentos das vias.

#Imparciup #starkassistencia #doutorsmartsjrp #pegapegasjrp