Flagrado o Vândalo dos Banheiros Públicos: quando o poder público não resolve e ainda piora

Funcionário da Prefeitura flagra artista, ou melhor, flagra individuo que pichava as paredes do banheiro público da Matriz, nesse sábado, 20..

Segundo a página oficial da prefeitura de São José do Rio pardo, “O rapaz chegou a ser fotografado – vestia uma camiseta com desenhos semelhantes aos da parede do banheiro.”

 
Comentário – Refaço: por que caracterizar o personagem da história mediante a uma imagem e através de uma página pública? É Irrefutável a tese de que o homem da imagem tenha assim cometido um ato impróprio quanto ao patrimônio público, porém não concordo com a postura da página pública, inclusive sendo a página da prefeitura, de tomar esta atitude ao expor e caracterizar o artista, ou vândalo, como quiser.
 
A intenção e as formas de lidar com situações corriqueiras através dos órgãos públicos, uma vez que vivemos em uma sociedade, e me aponte uma sociedade que não haja vandalismo, demonstra o quão preparada ou despreparada é uma administração pública.
 
Como falam alguns rio-pardenses – leitor, perceba que uma simples mensagem de organização e ajuda acaba por oferecer uma solução ao caso – “Bastasse uma conversa ou orientação, com uma lata de tinta, então este homem que vive nas ruas poderia pintar a parede.”, ou não.
 
Apenas, existem modos legítimos de se punir eventuais problemas cotidianos e pessoas que estejam infligindo limites sociais. O discurso por trás da imagem revela uma perspectiva de “Procura-se vivo ou morto”. O que o servidor público que presenciou fez foi: fotografar e publicar. Qual o objetivo: o linchamento de um morador de rua por munícipes revoltados com a depredação do banheiro público? Faça-me o favor, ou os comentários na página são aceitáveis, aquilo que definem como discurso de ódio.
 
Os responsáveis pela manutenção do banheiro público, estes sim, são cabíveis de punição; a prefeitura sabe como trazer uma resolução, aos moradores de rua, aos vândalos e aos rio-pardenses, e não querem. Preferiram a foto, preferiram atribuir a culpa a um único ser de maneira deplorável.
 
Refaço: Por que caracterizar o morador de rua, desenhista, mediante a uma imagem e através de uma página pública? Porque é mais fácil julgar e deixar que julguem, isso para milhares de seguidores da página no Facebook, fomentar a discórdia entre sociedade, ao invés de corrigir muitos impasses com um cajado só – rua, banheiros, moradores etc.

Gabriel Fécchio, seu jornalista de sempre!

#Imparciup #StarkAssistencia #DoutorSmartSJRP #PegaPegaSJRP#4NerdsOficial

 
 

Câmara de Mococa vai investigar contrato e pagamentos realizados à Insaúde

A Câmara de Mococa abriu, na última segunda, uma CEI – Comissão Especial de Inquérito, para investigar possíveis problemas no contrato e no pagamento à empresa Insaúde.
Segundo o site oficial, “Também ficará a cargo da comissão analisar os trabalhos desenvolvidos pelas comissões de monitoramento e avaliação. Os pagamentos efetuados à Organização Social serão alvos da investigação do Poder Legislativo.”
Os parlamentares declaram que se fez necessário a abertura de uma CEI após a Insaúde ter enviado um ofício com a informação da dívida de 5,1 milhões pela prefeitura.
Os trabalhos de averiguação e conclusão da Comissão serão de 60 dias.
Este é seu Jornalista de sempre, Gabriel Fécchio!
Foto: Câmara de Mococa

O Prédio ainda é discussão, com muitos apelidos, mas quem fará funcionar o UPA

A Câmara municipal de São José do Rio Pardo solicita que o Poder Executivo informe sobre a UPA, Unidade de Pronto Atendimento. O famoso UPA 24 horas, embora o rio-pardense não tenha conseguido usar uma.

Em observação, Mococa possui um UPA, com serviços prestados, pelo papo com alguns munícipes da cidade da vaquinha, de qualidade e com poucas falhas. Sim, com poucas, pois sempre há – agradar a todos é difícil!

Não determino que seja bom ou ruim o UPA quando cito os Mocoquenses, aliás, em 2016, estava em andamento a construção do prédio, isto em São José do Rio Pardo, da tal unidade. Talvez, não fosse o desejo de todos os rio-pardenses, mas trouxeram pra cá, muito dinheiro público envolvido, demora na entrega etc. Hoje, só um prédio vazio.

Recentemente, a circulação de notícias com meias-verdades que colocavam em discussão UPA x Pronto Socorro, ou seja, abre-se o UPA, fecha-se o Pronto Socorro. Então, não abriram UPA, não fecharam o Pronto Socorro, elas por elas, e ninguém toma partido sobre o que resolver. Eu, particularmente, prefiro os dois.

Lembrar que a página Orgulho Rio-Pardense, em um de seus textos, atribuía, meses atrás, a Ernani a meta de implantar o UPA antes das eleições de outubro – semana que vem, é o segundo turno e, em menção ao episódio 71 de Pica-Pau – A Vassoura da Bruxa: “E lá vamos nós”; de novo.

A secretaria de Saúde, Márcia Biegas, já descrevia ao Jornal Democrata, em dezembro de 2017, “que o local não poderia se adequar ao serviço, que haveria uma parede de Blindex na sala vermelha que daria para a rua. Na sala amarela e na vermelha, sem saída para oxigênio e ar comprimido”. Mal feito, concluindo as palavras de Márcia! Márcia prossegue pela indicação do espaço a um prédio de especialidades, à época, e que necessitaria de 800 mil reais para pôr em prática o UPA.

Nem isso e nem aquilo, caro leitor, o fato é que, na boca de todos, o prédio situado nas imediações do bairro Santa Teresa foi um monte de coisas, com muitas denominações e apelidos, mas nunca utilizado!

Este é seu Jornalista de sempre, Gabriel Fécchio!

Prefeitura confirma a reabertura do ESF “A unidade atuará em alguns casos, por enquanto”, afirma

A Prefeitura de São José do Rio Pardo anunciou a reabertura do ESF, Estratégia Saúde da Família Buenos Aires, nesta sexta, dia 19.
 
Ontem, a pedido de uma participante da Imparciup – São José do Rio Pardo sobre quais serviços e os locais de atendimento, a página oficial da Prefeitura responde: – “A ESF deve, enquanto não há o credenciamento de Agentes Comunitários, como já dito pela página INFO WEB CASSUCCI, ser como em UBS, a unidade atuará apenas nos casos ambulatoriais (consultas médicas, de enfermagem, medicação, curativos).”
 
Os serviços de saúde no local irão abranger, de segunda a sexta, das 7 às 17, os moradores do Maria Boaro e Buenos Aires, mas nos seguintes perímetros:
Bueno Aires –
 
– Av. Benedito dos Reis Scigliani (nº 1.254 até nº 1.571)
– Av. Luiz Rodrigues Correia; Rua Ademar S. Figueiredo
 
– Alfredo Del Buono, Rua Benedito Maia
– Rua Carlos Alberto Osmak, Rua Dirceu Tardelli
– Rua Domiciano Garcia da Costa
– Rua Domingos Parisi
– Rua Geraldo L. D. Bicalho,
– Rua Guiseppe Antonio de Rosa
– Rua Humberto Breda
– Rua Mário Andreatta
– Rua Olímpia da S. Rocha
– Rua Osório de Oliveira
– Rua Prudente Correa –
– Rua Reynaldo Smarieri
– Rua Ricardo Possebon
– Rua Sebastião da Paiva Machado
– Rua Torindo Perocco
– Rua Waldemar Sperancini.
 
Maria Boaro:
 
– Rua Agenor M. de Oliveira
– Rua André Bilotta
– Rua Ângelo Molfi
– Rua Ângelo Antonio Regini
– Rua Antonio Dias Bicalho
– Rua Benedito Noronha de Andrade
– Rua Benjamin Bilotta
– Rua José Olympio Dias Bicalho
– Rua José Pathes dos Santos
– Rua Justa T. de Martini
– Rua Luís de Martini.
Fotos: Prefeitura